Se o/a seu/amigo/a ou familiar está a ser vítima de violência doméstica ajude-o/a a procurar apoio, mas NÃO FAÇA o seguinte:


dizer à/ao seu/sua amigo/a o que fazer: a decisão é sempre da vítima;
dizer-lhe que ficará desapontado/a se o seu/sua amigo/a não fizer o que lhe disse para fazer ou se voltar para o/a agressor/a;
fazer comentários que possam culpabilizar a vítima por ser vítima;
tentar fazer “mediação” entre a vítima e o/a agressor/a;
confrontar o/a agressor/a, porque pode ser perigoso para si e também para a vítima.


Ajudar como amigo/a ou familiar uma vítima de violência doméstica não significa ter de resolver pelos próprios meios a situação ou salvar a vítima.
Por outro lado, é importante estar consciente que deixar uma relação violenta pode ser difícil, perigoso e moroso.

https://apav.pt/vd/index.php/zoo/o-que-nao-deve-fazer